Fundo_Lê.png

              A terapia cognitivo comportamental é uma terapia, de curta duração voltada para o presente, direcionada para a solução de problemas atuais e a modificação de pensamentos e comportamentos disfuncionais (inadequados ou inúteis).

 

  • Terapia é uma palavra usada para descrever uma abordagem sistemática para combater um problema, uma doença ou uma condição irregular.

 

  • Cognitivo refere-se a tudo o que se passa na sua mente, como contos, lembranças, imagens, pensamentos e atenção, e que servem para você dar significado ao que acontece a você e ao seu redor.

 

  • Comportamental refere-se a tudo o que você faz. Isso inclui o que você diz, como tenta resolver seus problemas, como age, como evita certas situações. Comportamental diz respeito tanto à ação quanto à falta dela. Por exemplo, quando você se cala ao invés de dizer o que pensa, ainda assim isso é seu comportamento, mesmo que você esteja tentando não fazer nada.

 

            O conceito central da TCC é que você sente o que você pensa, então, a TCC trabalha de acordo com o princípio de que você pode viver mais feliz e produtivamente se pensar de forma saudável.

 

            A terapia varia consideravelmente de acordo com cada paciente, com a natureza das suas dificuldades e seu momento de vida.

 

O tratamento também varia dependendo dos objetivos do paciente, da sua capacidade para desenvolver um vínculo prévio com terapia e suas preferências de tratamento, entre outros fatores.

 

            O modelo cognitivo propõe que o pensamento disfuncional (que influencia o humor e o pensamento do paciente) é comum a todos os transtornos psicológicos. Quando as pessoas aprendem a avaliar seu pensamento de forma mais realista e adaptativa, elas obtêm uma melhora em seu estado emocional e no comportamento. Por exemplo, se você estivesse muito deprimido e emitisse alguns cheques sem fundos, poderia ter o pensamento automático, uma ideia que simplesmente apareceria em sua mente: "Eu não faço nada direito". Esse pensamento poderia, então conduzir a uma reação específica: você se sentiria triste (emoção) e se refugiria na cama (comportamento). Se então, examinasse a validade dessa ideia, poderia concluir que fez uma generalização e que, na verdade, você faz muitas coisas bem. Encarar a sua experiência a partir dessa nova perspectiva provavelmente faria você  se sentir melhor e levaria a um comportamento mais funcional.

 

 

            O tratamento está baseado em uma conceituação, ou compreensão, de cada paciente (suas crenças específicas e padrões de comportamento). O terapeuta procura produzir de várias formas uma mudança cognitiva-modificação no pensamento e no sistemas de crenças do paciente para produzir uma mudança emocional e comportamental duradoura.

 

 

            A modificação das crenças disfuncionais subjacentes produz uma mudança mais duradoura. Por exemplo, se você continuamente subestima suas habilidades, pode ser que tenha uma crença subjacente de incompetência. A modificação dessa crença geral (isto é, ver a si mesmo de forma mais realista, como alguém que tem pontos fortes e pontos fracos) pode alterar sua percepção de situações específicas com que se defronta diariamente¹.

¹extraído das obras Terapia cognitivo comportamental de Judith S. Beck ( 2.ed. 2013)  e Terapia cognitiva comportamental de Rhena Branch e Rob Wilson (2012)

Terapia Cognitivo Comportamental